sábado, 23 de fevereiro de 2013

Livro: Cidade dos Ossos (Os Instrumentos Mortais)

Lançamento: 2010
Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Gênero: Fantasia Juvenil
Páginas: 462
Avaliação: 


Cidade dos Ossos, da saga Os Instrumentos Mortais é um dos meus livros favoritos. Conheci ele logo que saiu aqui no Brasil. Uma amiga minha estava escrevendo e postando uma fanfic (que na época não estava flopado como está hoje), e eu gostei  muito da história dela, quando ela me disse: me inspirei em Cidade dos Ossos, você deveria ler.

Não me empolguei muito, e enrolei um ano para pedir de aniversário e ganhar. Eu sou daquelas que vive pedindo livro de aniversário, e como Cidade dos Ossos era um dos que eu estava muito ansiosa para ler – depois de tantos elogios, não tem como ficar ansiosa -, deixei por último, já que eu tenho essa mania de ler primeiro o que estou menos empolgada. Enfim, comecei a ler. E foi um dos livros que eu terminei em um, dois dias, no máximo.

A história me envolveu, sério. O livro já começa de um jeito diferente, Clary já se vê num problema, vendo Jace, um caçador de sombras (em inglês, shadowhunter), matando uma pessoa. O que ela não imaginava é que essa pessoa era um vampiro, que caçadores de sombras são descendentes de anjos e humanos, que caçam esses seres e que mundanos normais não podem vê-lo. Então porque ela o via?

O mistério começa aí. Clary vai para casa e, chegando lá, é atacada por um demônio, e sua mãe foi sequestrada. Sem ter o que fazer, liga para Jace, é resgatada por ele, e vai para o Instituto de Caçadores de Sombras do local, onde se surpreende ao saber de tudo que existe no mundo e ela não fazia a mínima ideia, e se surpreende ainda mais ao saber sobre seu passado apagado de sua mente, ao se apaixonar por Jace e descobrir quem sequestrou sua mãe.

Bom, é uma saga, como vocês sabem. Inicialmente é uma trilogia, composta por: Cidade dos Ossos, Cidade das Cinzas e Cidade de Vidro, e se você não quiser ler os outros livros, não precisa, já que a história da trilogia inicial acaba (mas, sinceramente, você vai querer ler). Cidade dos Anjos Caídos, o primeiro livro da nova trilogia, já saiu no Brasil, e estamos a espera de Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celeste.

Espero que tenham gostado da resenha. Se leu o livro, comente o que achou dele. Se não, o que achou da resenha e se pretende ler! Mais uma vez estou pedindo para divulgarem o blog, já que ele é novo. BTW, fiquei MUITO chateada porque ninguém comentou no post de Bon Jovi. Enfim, até o próximo post!

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Banda: Bon Jovi


Bon Jovi é uma banda de rock, criada no ano de 1983, e, atualmente, tem quatro integrantes: Jon Bon Jovi, Richie Sambora, David Bryan e Tico Torres. Até hoje tem quinze álbuns, com um prestes a ser lançado. Bon Jovi é a minha banda preferida desde... Sempre. Eu sempre escutei com meus irmãos (minha irmã principalmente) e sempre adorei. Cresci escutando, e continuarei escutando até o fim dos tempos.

Bon Jovi tem músicas na maioria das vezes românticas, porém todas têm aquele quê a mais. Românticas ou não, as letras são sempre perfeitas e tem algum significado por trás. A música mais nova deles, lançada a pouco tempo, se chama Because We Can, e é uma música super motivadora, que faz você querer ser algo a mais. Agora em uma mais clássica, Always e I’ll Be There For You, que são super-românticas. É sobre um homem que teve o relacionamento terminado, mas diz que estará lá sempre para a amada. E agora tem uma mais divertida, mas ainda sim romântica, Misunderstood, que vendo o clipe te faz rir muito de coisas impossíveis de acontecer (principalmente com o clipe original, que eu não acho em lugar nenhum, af). E claro, tem as mais clássicas ainda, que não são românticas: It’s My Life, Bad Medicine, You Give Love a Bad Name, Livin’ on a prayer, Wanted Dead or Alive (quem assiste a série Supernatural, sabe que esse última é muito boa) e muito mais.

A realidade é: a maioria de suas músicas são românticas, ou tem ao menos um quê de romance, mas as letras são perfeitas, dá para sentir a emoção nelas, o sentimento, e gente, para, a voz do Jon é perfeita, tanto em uma gravação quanto ao vivo, porque eu posso dizer, aliás, EU JÁ FUI EM UM SHOW DELES, e foi o melhor dia da minha vida, apenas. Foram três horas de pura perfeição e Bon Jovi, e pensa numa pessoa que no dia seguinte estava sem voz de tanto gritar? Pois é.

Quem me conhece sabe que eu prefiro bandas antigas, sendo Bon Jovi a minha favorita. Quem me conhece mais ainda, sabe que eu AMO Bon Jovi, mas acho as músicas antigas muito melhores que as atuais (apesar de Because we can ter me surpreendido muito), mas antigas ou não, todas são perfeitas e merecem ser ouvidas! Aconselho super!

Além de Bon Jovi, aconselho escutar: Aerosmith, Nirvana, Red Hot Chilli Peppers, Creedence (que é dos anos 60, porém muito boa). E para quem gosta de rock e filmes musicais, aconselho super Rock of Ages. No começo você pensa que vai ser ruim, mas é MUITO bom, e tocam músicas MUITO perfeitas.

É isso. Espero que tenham gostado do post, comentem e, por favor, escutem Bon Jovi, hahaha. Até o próximo post, e, por favor, deem uma divulgadinha básica! See ya'll!


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Série: The Following


Sinopse: O FBI estima que atualmente há 300 serial killers na ativa nos Estados Unidos. O que aconteceria se esses assassinos tivessem uma maneira de se comunicar e conectar entre si? E se eles fossem capaz de trabalharem juntos e formarem alianças conforme deixam uma trilha de sangue pelo país? E se um brilhante e carismático, porém psicótico, serial killer fosse capaz de reunir todos eles e formar um culto de seguidores que obedecem seus comandos? Trailer da série.

Já faz um tempo que vem passando propaganda toda hora de The Following na televisão, e eu já estava muito, mas muito curiosa. Pesquisei e tudo mais e vi que a série começaria esse ano, mais precisamente no dia 21 de janeiro. E melhor: que o diretor seria o Kevin Williamsom. O rei de terror e suspense. Quando eu vi que já tinha saído para baixar legendado, fui correndo.

Eu amo, amo mesmo, esses temas de serial killer. E amo mais ainda o Kevin Bacon, que, por sinal, só pelo episódio piloto, já deu para perceber que, como sempre, vai fazer um trabalho simplesmente perfeito, dando vida ao personagem que é um ex-agente do FBI, Ryan Hardy.

Há oito anos, ele colocou na prisão um serial killer chamado Joe Carrol, interpretado pelo James Purefoy. Agora, ele fugiu com a ajuda de um policial. Mostra, no episódio piloto, que Ryan conseguiu salvar uma das vítimas de Joe e, agora, ele saiu justamente para terminar o seu trabalho. Como ele está infiltrado na sociedade, Ryan tem o trabalho de prendê-lo, já que ele foi o único a fazê-lo no passado.

Como é colocado na série, Carrol tem um tipo de “seita”, e tem vários seguidores, pessoas que querem ser como ele, ou seja, serial killer. Joe era professor de literatura, agora, é um de como virar um serial killer. Em todo o lugar tem gente infiltrada para ele, para ele saber o que ocorre com as pessoas em que, uma hora ou outra, ele terá contato.

No final do episódio acontece uma coisa que você simplesmente não iria, em hipótese alguma, pensar que aconteceria, e Carrol dando sua explicação; ele havia escrito um livro e, com os acontecimentos que ainda está por vir, quer escrever outro.

Eu já me apaixonei pela série, eu to falando sério! As coisas são MUITO bem pensadas, logo no piloto acontecem coisas que você nunca iria imaginar que acontecem, e os atores são ótimos. (Pirei quando vi que o Shawn Ashmore, a.k.a Homem de Gelo em X-men, trabalha, e já amei o personagem dele!)

Já deu para perceber que essa série vai ser muito boa e que vai dar o que falar, não é? Super recomendo! Então, é isso. Espero que assistam e que gostem. Não se esqueçam de comentar e seguir, e já que o blog está no comecinho, dar uma divulgadinha básica? Por favor? (insira os olhos pidões do Gato de  Botas do Shrek). Haha. Até pessoal!


domingo, 20 de janeiro de 2013

Primeiro post!



E aí povinho lindo. Não, pera... Que povo? Ok, ok, piadinhas (sem graças) a parte, cá está o meu primeiro post no blog! Não sabia muito bem como criar esse primeiro post. Fazer uma resenha direto, falar de uma série, de uma música, de um filme, o quê fazer? Então decidi que não falaria de nada além de mim. Não, mentira gente, não quero entediar vocês. Decidi que vou me apresentar um pouquinho mais do que está escrito no about, sobre a minha vida, porque resolvi fazer o blog, e tudo mais.

Como vocês sabem, meu nome é Patrícia, eu tenho 14 anos, em maio faço 15 (e já estou morrendo de medo antecipadamente da vacina de tétano), e eu não sou uma adolescente muito normal. Adolescentes normais gostam de sair de casa, ir para festas, conhecer gente nova, são super sociais e badaladas, e eu sou o total oposto disso. Saio raramente de casa, e quando saio, é pra ir ao shopping feat. cinema com as minhas amigas ou com a minha irmã.

Sou a prova viva de que aquela coisa que várias pessoas falam, “adolescente não gosta de ler”, é uma total mentira. Eu a-m-o ler, posso ficar simplesmente horas e horas lendo um livro, textos, fanfics, e tudo que se possa imaginar. Amo assistir séries de TV também, sendo minhas favoritas The Vampire Diaries, Castle, Grey’s Anatomy e Supernatural, mas eu assisto MUITO mais que isso.

No quesito música, eu sou considerada estranha (nossa, que novidade; eu sendo considerada estranha.). Odeio essas músicas sem letra (a.k.a.: tche tche rê rê, eu quero tchu eu quero tchá, ai se eu te pego e todas essas merdinhas que eu tenho certeza que vocês conhecem), e minha banda preferida é Bon Jovi (não vou falar muita coisa deles, porque eu vou fazer um post especialmente pros meus bebês).

Filmes eu gosto bastante de terror (apesar de assistir morrendo de medo), mas também adoro aqueles de comédia, ou aqueles romances que te fazem chorar do começo ao fim.

Eu um relacionamento sério com: Damon Salvatore, Jace Wayland, Neal Caffrey, Dean Winchester e vários outros personagens fictícios.

Ok, esse foi só um resumão (que ficou muito maior do que eu esperava). Espero que gostem, sigam, comentem e me ajudem a divulgar, haha (pidôncia!)

Até o próximo post, que aí, com certeza, será falando de: livros, séries, músicas ou filmes.

See ya’ll!